banner
publicidade
publicidade

CBF cede Copa América para blindar seleção após 2014

O novo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, explicou que cedeu ao Chile o direito de sediar a Copa América de 2015, em troca da edição seguinte do torneio, em 2019, para poder “proteger” a seleção brasileira. Sua lógica é simples: se perdesse o título do Mundial de 2014, jogando em casa, o time do Brasil seria “apedrejado” ao atuar no País no ano seguinte.

Além disso, a alegria de uma eventual conquista do título mundial em 2014 poderia ser frustrada um ano depois se o Brasil não repetisse a performance e não fosse campeão da Copa América em casa. “Diriam que ganhamos a Copa de 2014 até por sorte”, explicou Marin.

Marin assumiu o comando CBF no começo do mês, após a renúncia de Ricardo Teixeira, e desembarcou nesta terça-feira em Zurique, na Suíça, para sua primeira reunião na Fifa. Uma de suas primeiras ações no cargo foi justamente a de abandonar a organização da Copa América de 2015, aceitando uma proposta de troca com o Chile pela edição de 2019, que será no Brasil.

“Se a gente ganha a Copa de 2014 e perdemos em 2015, a festa duraria só um ano”, afirmou Marin. “Se a gente perde em 2014, a seleção iria ser apedrejada durante a Copa América”, completou o dirigente, que também destacou a “overdose” de futebol no Brasil em 2014 e 2015 se o calendário tivesse sido mantido. “O calendário prejudicaria muito os clubes.” (AE)


Comentários



radio
radio destaque
Fale conosco
TEIXEIRA VERDADE
CNPJ:14.898.996/001-09
E-mail - teixeiraverdade@gmail.com
Tel: 73 8824-2333 / 9126-9868 PLUG21