banner
publicidade
publicidade

Entenda como é feita a preparação da urna eletrônica

Entenda como é feita a preparação da urna eletrônica e que caminho percorre o seu voto

Terminais de votação iniciaram a preparação desde maio e passaram por vários testes

04/10/2012 11:05 – GERALDO LÉLIS, do FolhaPE

Geraldo Lélis/FolhaPE

O pen drive é responsável por tirar seu voto da urna o levar para a rede de transmissão da Justiça Eleitoral

O que acontece depois que o eleitor aperta o botão verde “Confirmar” na urna eletrônica? Você pode não ter parado para pensar, mas seu voto faz uma viagem até Brasília e depois para o seu computador em poucas horas e, às vezes, até em minutos. E olhe que a viagem do voto é no esquema pinga-pinga, pois sai da urna através de um pen drive, entra no sistema da Justiça Eleitoral pela porta dos cartórios eleitorais de acordo com a zona, vai para o Tribunal Regional Eleitoral do respectivo estado para finalmente chegar ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Mas para que essa agilidade seja realidade, há toda uma preparação para as urnas não serem violadas e estarem aptas a oferecer todas as condições de receber os votos. Primeiro, ela recebe as informações dos eleitores que foram cadastrados no cartório e designados para a utilizarem. Esse processo teve início no último dia 09 de maio. Em 08 de julho, foi o fim do prazo para o TSE receber candidaturas. Pronto. A partir daí, teve início o processo de armazenamento dos cartões de memória que serão utilizados nas urnas, separando os candidatos por município. Após isso, foi a vez de definir a urna de cada seção eleitoral.

Munidas das candidaturas, as urnas foram submetidas a testes eletrônicos, que se encerraram na última terça-feira (02). Em Pernambuco, o teste aconteceu em 18 cidades. Foram 497 profissionais contratados pelo TSE e distribuídos nestes locais. Na semana que antecede a eleição, é a vez de técnicos serem treinados para dar suporte aos locais onde haverá votação. Enquanto isso, haverá a distribuição das mais de 20 mil urnas até a quinta-feira (04), realizada pelo TRE-PE em parceria com os Correios. Já no local de votação, representantes dos cartórios realizam outros testes de funcionamento.

No dia da votação, uma hora antes de ter início o processo eleitoral, os mesários ligam a urna e imprimem a zerésima, relatório que deve confirmar que aquele dispositivo possui todos os candidatos registrados e nenhum voto computado. Apesar de já estar ligada, a urna permanece bloqueada até as 8h, momento em que ela já pode receber o eleitor. Nove horas depois, com a entrada de novos eleitores proibida, os mesários devem esperar acabar a fila de sua seção para, enfim ,dar início à viagem do voto depositado pelo eleitor.

Primeiramente, é retirado o Boletim de Urna (BU), que já vem com o resultado daquele terminal de votação constando votos, abstenção e justificativas. Após a impressão do BU, o mesário pode mandar salvar todas as informações no pen drive que já está preso por um lacre à urna. Foi o primeiro passo do seu voto. Depois disso, ele é levado via pen drive para o cartório eleitoral daquela zona. São 151 cartórios eleitorais em Pernambuco. Aí, seu voto entra na rede de transmissão de dados própria da Justiça Eleitoral, criada para evitar invasões de hackers. Através dessa rede, o voto vai para o TRE-PE e depois para o TSE.


Comentários



radio
radio destaque
Fale conosco
TEIXEIRA VERDADE
CNPJ:14.898.996/001-09
E-mail - teixeiraverdade@gmail.com
Tel: 73 8824-2333 / 9126-9868 PLUG21