banner
publicidade
publicidade

Fundo vai apoiar 22 projetos de aldeias indígenas de Aracruz

Fundo vai apoiar 22 projetos de aldeias indígenas de Aracruz

Iniciativa integra o Plano de Sustentabilidade Tupiniquim e Guarani, desenvolvido pela Fibria e Kamboas Socioambiental

O Fundo de Apoio para Iniciativas Comunitárias (Faici) beneficiará neste ano mais 22 projetos de moradores das terras indígenas na região de Aracruz. Serão investidos R$ 125 mil para fornecimento de equipamentos, insumos e serviços para a concretização dos empreendimentos aprovados. O Faici integra as ações do Plano de Sustentabilidade Tupiniquim e Guarani do Espírito Santo (PSTG), uma parceria da Fibria com a Kamboas Socioambiental.

As inscrições para o segundo edital do Faici cresceram mais de 20% em relação ao primeiro, lançado em 2014. Dos 109 projetos concorrentes, 22 foram escolhidos pelo Conselho Deliberativo do Fundo, formado pela Fibria, Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), Secretaria Municipal de Agricultura de Aracruz (Semag) e Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper). Dois representantes indígenas atuaram como auditores do processo.

Os critérios utilizados para escolha dos projetos foram o envolvimento do maior número possível de famílias; a continuidade de trabalhos já iniciados; o envolvimento de outros parceiros e acompanhamento das atividades; e a valorização do conhecimento e inclusão de idosos, mulheres e jovens.

O Faici conta com quatro linhas de atuação: geração de renda e trabalho, que visa fortalecer essas iniciativas na terra indígena; atividades de subsistência, para apoiar ações para produção de alimentos para consumo das famílias envolvidas; cultura, que visa ao fortalecimento dos valores e culturas tupiniquim e guarani; esporte, cujo foco é formação de jovens por meio da prática esportiva.

A grande maioria de projetos aprovados – 82% – foi na linha de geração de renda, com foco em atividades de agropecuária. A importância social do Faici é reforçada por meio do levantamento de beneficiários dos projetos: metade deles favorece cinco ou mais famílias.

Saiba mais

  • 109 projetos inscritos
  • 22 selecionados
  • 21 são de aldeias de etnia tupiniquim
  • 36% são da Aldeia Caieiras Velha
  • 23% são da aldeia Irajá
  • 18% são da aldeia Pau-Brasil

 

Sobre o PSTG – O Plano de Sustentabilidade Tupinikim e Guarani atua com base em três eixos: apropriação de conhecimentos para a gestão territorial e ambiental das terras indígenas, uso sustentável dos recursos naturais e o fundo de apoio a iniciativas comunitárias indígenas. Com foco nesses pilares, são desenvolvidas atividades de fortalecimento dos coletivos; recuperação de sementes crioulas para plantios nas roças e quintais; enriquecimento das terras com sistemas agroflorestais; meliponicultura e restauração florestal.

 

Sobre a Fibria – Líder mundial na produção de celulose de eucalipto, a Fibria possui capacidade produtiva de 5,3 milhões de toneladas anuais de celulose, com fábricas situadas em Três Lagoas (MS), Aracruz (ES), Jacareí (SP) e Eunápolis (BA), esta última onde mantém a Veracel em joint venture com a Stora Enso. Em sociedade com a Cenibra, opera o único porto brasileiro especializado em embarque de celulose, Portocel (Aracruz, ES). Com uma operação integralmente baseada em plantios florestais renováveis, a Fibria trabalha com uma base florestal própria de 970 mil hectares em áreas localizadas nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e Bahia, dos quais 343 mil são destinados à conservação ambiental. A Fibria mantém cerca de 18.900 trabalhadores, entre empregados diretos e indiretos, e está presente em 254 municípios de sete Estados brasileiros.


Comentários



radio
radio destaque
Fale conosco
TEIXEIRA VERDADE
CNPJ:14.898.996/001-09
E-mail - teixeiraverdade@gmail.com
Tel: 73 8824-2333 / 9126-9868 PLUG21