banner
publicidade
publicidade

Imagens mostram jornalista sendo assassinado na saída do Hiper Bompreço em Salvador

Nada justifica uma morte por R$ 11′, lamenta mãe de jornalista após crime. Jovem de 29 anos foi esfaqueado após discutir com funcionária na Bahia. Delegado já ouviu seis pessoas. Principal suspeito é guardador de carros.

A mãe do jovem morto a facadas no estacionamento de um supermercado de Salvador esteve na delegacia nesta segunda-feira (27) para tentar colher informações sobre o que teria motivado a morte de seu único filho.

O rapaz de 29 anos era formado em Jornalismo e teria sido morto por um guardador de carros, o principal suspeito do crime, após uma discussão entre a vítima e uma funcionária da loja.

“O que sabemos é que ele veio trocar um vale de R$ 11,98 e discutiu com a caixa. Meu filho não era agressivo, nada justifica uma morte por conta disso”, lamenta a mãe da vítima, Maria José. Segundo informações do delegado Marcelo Sansão, “o que se tem de informação até agora é que o suspeito teria tomado as dores das funcionárias, mas não se pode afirmar ainda sobre vínculos de amizades”, aponta.

O rapaz foi esfaqueado enquanto era atendido por uma ambulância do Samu, que foi encaminhada ao local porque a vítima passou mal após a discussão. “Ele estava com pressão alta, formigamento em um dos braços e suspeitavam de AVC. Enquanto a atendente da Samu prestava o socorro, um homem bem vestido chegou com um objeto envolto em papel-toalha e desferiu dois golpes no pescoço da vítima”, descreveu  o delegado sobre o crime.

Segundo a polícia, após ser atingido, o rapaz chegou a correr gritando por ajuda. Ele foi levado ao HGE consciente, pela mesma ambulância do Samu, mas, devido à perda de sangue, não resistiu e morreu no fim da noite de sexta-feira (24). “Os golpes perfuraram uma das vias aéreas da vítima”, disse o delegado.

“Perdi minha vida”

“Meu filho era trabalhador, tinha duas faculdades, era cheio de sonhos. Ele [o suspeito] não matou somente meu único filho, mas a mim também e a toda minha família”, desabafou a mãe do rapaz. Segundo ela, a família só deseja agora a justiça.

“Imagine perder a vida por conta de um troco errado? Por conta de R$ 11? Eu quero saber onde estava a gerência do supermercado que não viu isso. Queremos justiça, achar o culpado, ou os culpados por isso. Imagine se toda pessoa que reivindicar seus direitos for morta?”, questiona a mãe.

O delegado Sansão (foto) tinha ouvido seis testemunhas no caso até o fim da tarde desta segunda. As imagens de segurança do supermercado já estão em poder dos peritos, informou o delegado. O suspeito é conhecido na região pelos vulgos de “couveiro” ou “pasta pura”.

O crime

A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou na tarde de domingo (26) que o jovem que morreu após ser esfaqueado no estacionamento do supermercado Hiper Bompreço havia discutido com uma funcionária do estabelecimento minutos antes de ser atingido. O crime aconteceu na noite de sexta-feira (24), na região do Iguatemi, em Salvador.

De acordo com a polícia, a ocorrência registrou que o jovem, de 29 anos, discutiu com a funcionária do hipermercado por volta das 21h, enquanto tentava reaver em dinheiro um vale oferecido pelo supermercado após um problema em uma compra. Durante a discussão, o jovem passou mal e uma equipe do samu fez o atendimento. Uma das atendentes teria torcido o pé durante a discussão, informou a polícia.

Em nota enviada pela assessoria de imprensa, a empresa disse que o “Bompreço está colaborando com as investigações e que vai prestar todos os esclarecimentos necessários às autoridades competentes”. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso.

G1-BAHIA


Comentários



radio
radio destaque
Fale conosco
TEIXEIRA VERDADE
CNPJ:14.898.996/001-09
E-mail - teixeiraverdade@gmail.com
Tel: 73 8824-2333 / 9126-9868 PLUG21