banner
publicidade
publicidade

Jornalistas teixeirenses falam sobre o exercício da profissão

Por Sulbahianews/Petrina Nunes

 

No dia 07 de abril é comemorado o Dia Nacional do Jornalista, essa data foi escolhida em homenagem a Giovanni Battista Libero Badaró, médico e jornalista que morreu assassinado por inimigos políticos, em São Paulo, em 22 de novembro de 1830; essa morte gerou um movimento popular que levou à abdicação de D. Pedro I, no dia 7 de abril de 1831, deixando o trono para D. Pedro II.

Aelson Sampaio e Henriqueta Fernandes

 

A fundação da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), também foi fundada em 07 de abril, do ano de 1908. E em 1931 foi determinado que esse dia fosse dedicado a esses profissionais.

Antonio Carlos

 

O Sulbahia News, conversou na manhã de hoje com jornalista Antonio Carlos, conhecido por Carlinhos, diretor do Jornal Alerta, que falou sobre a importância dessa data. O jornal Alerta está há quase 28 anos em circulação na região, nasceu em Medeiros Neto na década de 80, e nos anos 90 a sede veio para Teixeira de Freitas.

Jaja Verdade

 

Carlinhos informa que hoje está sendo votada na Câmara dos Deputados em Brasília a PEC do Diploma, que iria reestabelecer a exigência do diploma de nível superior em jornalismo para exercer a profissão, e essa questão tem dividido os profissionais.

“As grandes empresas jornalísticas tem colocado em seus quadros pessoas não habilitadas para exercer o pluralismo de atividades que o jornalismo abrange”, diz Carlinhos, que lembra as áreas jornalísticas, como a policial, de esportes, política e outras.

Michele Ribeiro 

 

“O jornalista tem que ter responsabilidade social”, segundo Carlinhos, ao levar a informação a população. Apesar disso, “o jornalismo é considerado uma profissão de risco, porque muitas pessoas não gostam de ver seus erros e falhas expostos para a sociedade”.

Ramiro Guedes e Rafael Nunes

 

Ramiro Guedes, radialista e secretário da Cultura na cidade, fala sobre a honradez e ética do profissional que trabalha com comunicação. Para ele “há dois tipos de valorização do profissional: uma que a comunidade dá ao jornalista; e outra que o jornalista dá ao próprio trabalhando, levando a veracidade dos fatos e se guiando pelo código de ética”.

 

Neuza Brizola

 

O radialista ainda diz que “há muitas pessoas que usam o jornalismo para interesse pessoal, e isso precisa ser combatido, pois se torna uma mancha na profissão”. Ainda mais que essa é uma profissão de muita grandeza e fundamental importância para a constituição histórica de uma sociedade.

Lucas Bocão

 

Sobre Teixeira, Ramiro ver que evoluiu bastante no quesito cobertura dos fatos, pois, atualmente, as notícias sobre estão quase imediatas e a qualidade dessas notícias também tem acompanhado a evolução.

 

João Pereira e Uinderlei Guimarães

 

Edvaldo Alves, que atua principalmente na área da reportagem policial, no seu próprio site e no rádio, também ver essa profissão como sendo de risco, e cita a morte do colega Gel Lopes, no ano passado, que foi executado em via pública.

Edvaldo Alves e Jotabê JB

 

Ele entende que essa vulnerabilidade da profissão prejudica a evolução da imprensa, além de ser necessária a união da classe para crescer tanto a imprensa de Teixeira, quanto de toda a região.



Comentários



radio
radio destaque
Fale conosco
TEIXEIRA VERDADE
CNPJ:14.898.996/001-09
E-mail - teixeiraverdade@gmail.com
Tel: 73 8824-2333 / 9126-9868 PLUG21