banner
publicidade
publicidade

Lançamento de projeto movimenta vida cultural do Extremo Sul

Lançamento de projeto movimenta vida cultural do Extremo Sul

 

O “Escritoras Negras da Bahia” foi lançado nesta sexta (07) e reuniu escritores, professores e alunos no auditório da Uneb, em Teixeira de Freitas. O projeto segue para Caravelas, Alcobaça e Prado

 

Está no ar o site www.escritorasnegras.com.br, um mapeamento detalhado do trabalho de escritoras negras baianas, em diversos segmentos literários – poemas, contos, artigos e romances. A ferramenta foi lançada pela jornalista baiana e idealizadora do projeto, Calila das Mercês, na sexta-feira (07/07), durante a palestra “Literatura de autoria negra: resistência e pluralidade da memória”, na Universidade do Estado da Bahia, em Teixeira de Freitas. Professores, alunos, mulheres e escritoras negras lotaram o auditório da universidade.

 

Em sua exposição, Calila destacou a invisibilidade das escritoras negras e falou sobre a necessidade de fomento à discussão. “93,9% daqueles que formam opinião dos nossos filhos, nossos sobrinhos, por meio da literatura, são homens brancos. É algo alarmante, fruto de uma relação sistêmica pesada, que invisibiliza as autoras negras e que também reflete na nossa economia. É algo que temos que refletir e lutar contra, para que possamos mudar nossa realidade”, disse Calila.

 

A opinião foi compartilhada pela historiadora Mariana Miranda, que elogiou a iniciativa de Calila. “O projeto é excelente, porque contribui para socializar o conhecimento, já que é uma maneira de tornar pública a nossa história e os sujeitos que foram e são invisibilizados, inspirando também outras mulheres a produzirem e fortalecendo a luta das mulheres negras que existem e resistem todos os dias”, disse.

 

Ainda no lançamento, houve apresentação do grupo de Teatro Raio X, coordenado pelo professor da Uneb Gean Paulo. “Demos nossa contribuição, hoje, neste evento, tão importante, sobretudo para apresentar um leque de possibilidades a escritoras negras, que produzem, mas não têm espaço. E a fala de Calila veio para trazer ainda mais representação a essas mulheres, com citações a grandes escritoras, como Conceição Evaristo e Carolina Maria de Jesus”, disse.

Além de Teixeira de Freitas, uma série de atividades foi desenvolvida em Caravelas, neste fim de semana. No sábado (08/07), de manhã, foi realizada uma intervenção artística com a colagem de lambe-lambes no muro do Colégio Polivalente. À tarde, foi a vez de Calila debater “Literatura de autoria negra” com os caravelenses. Já no domingo (10/07), o tema em discussão foi “Escrevivências: resistência e representações na literatura de escritoras negras”.

 

Esta semana, o Escritoras Negras da Bahia segue com os debates sobre literatura negra, resistência e tecnologia no Extremo Sul. Além de Calila, a doutoranda em Teoria e História Literária da Unicamp, Raquel Galvão, ministra a palestra “Literatura e tecnologia — mídias e mobilizações em rede” nos dias 11 e 12/07, em Caravelas, 13 e 14/07, em Alcobaça, e 17 e 18/07, em Prado. Já a doutora em Comunicação e Cultura da UFRJ, Kênia Freitas, discute “A magia da mulher negra: poéticas e estéticas das cineastas negras” nos dias 13 e 14/07, em Caravelas, 17 e 18/07, em Alcobaça, e 19 e 20/07, em Prado. A inscrição é gratuita e pode ser feita pelo linkhttps://goo.gl/rq9q28.


Comentários



radio
radio destaque
Fale conosco
TEIXEIRA VERDADE
CNPJ:14.898.996/001-09
E-mail - teixeiraverdade@gmail.com
Tel: 73 8824-2333 / 9126-9868 PLUG21