banner
publicidade
publicidade

MICHEL TEMER DECIDE DEIXAR ARTICULAÇÃO POLÍTICA

MICHEL TEMER DECIDE DEIXAR ARTICULAÇÃO POLÍTICA
O vice-presidente Michel Temer vai deixar a articulação política do governo com o Congresso.

Aborrecido com a falta de cumprimento de acordos e com a “articulação paralela” promovida no Palácio do Planalto sem aviso prévio, Temer só avalia agora o melhor momento para que o desembarque não seja visto como mais um fator de instabilidade, no rastro da crise provocada após a denúncia contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

“Eu já cumpri o meu papel em relação ao ajuste fiscal e agora vou me dedicar à macropolítica”, disse o vice-presidente, que comanda o PMDB, a líderes aliados no Congresso. Temer conversou ontem com Cunha, em São Paulo. Acusado por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro pela Procuradoria Geral da República, o presidente da Câmara disse ao vice que ele deveria “sair fora” da articulação o mais rápido possível, porque a Casa ficará cada vez mais ingovernável.

 

Cunha avisou, ainda, que não renunciará e que passará a defender “com vigor” o rompimento do PMDB com o governo Dilma Rousseff. Não foi surpresa: dias antes de ser denunciado, Cunha já dissera a Temer e a líderes do governo que não cairia sozinho.

Temer não definiu a data de saída da articulação política, mas já confidenciou a amigos que o trabalho tem “prazo de validade”, após quatro meses nessa tarefa. As informações são do Estadão.


Comentários



radio
radio destaque
Fale conosco
TEIXEIRA VERDADE
CNPJ:14.898.996/001-09
E-mail - teixeiraverdade@gmail.com
Tel: 73 8824-2333 / 9126-9868 PLUG21